sexta-feira, 24 de abril de 2009

Senhor das Histórias

"Sentem-se todos."
"Hoje nossa história será diferente."
As risadas se misturavam com os passos apressados na madeira nobre, enquanto todas as crianças se sentavam no chão o mais perto do Senhor das Histórias.
"Não teremos 'era um vez', pois essa história não tem fim. Não é algo que já se foi contado. Por isso vocês nunca a ouviram."
A biblioteca sempre ficava mais colorida quando o Senhor das Histórias a visitava. Vinham mais crianças. Viam-se mais sorrisos.
"Também não foi algo que inventei. É uma história sobre pessoas de sentimento. Elas surgiram há muito tempo atrás e deixaram seu legado atravessar as épocas. Essas pessoas sorriam e choravam e brigavam e se amavam todos os dias. Elas sentiam tudo, todos os dias."
Não importava a história. Ou a aparência do velho. Ou qualquer outra coisa. Se algo fosse contado, todos ouviriam.
"Todos os dias eram os piores, assim como todos os dias eram os melhores de suas vidas. Essas pessoas não viviam muito tempo. Mas viviam muito. E morriam de formas variadas. O nascimento e a morte eram celebrados na mesma intensidade. E nunca planejados."
"Essas pessoas não pertenciam, nem tinham nada material. Elas só tinham a si mesmas. Sendo assim precisavam de seus sentimentos. Sentimentos que devem ser compartilhados. E são."
"Mas essas pessoas possuíam a genialidade de compartilhar sem prender ou obrigar qualquer coisa ou alguém. Compartilhavam por acharem a sensação boa e nada mais. A sensação de ganhar uma bala do seu sabor preferido quando menos se espera. E aprecia-la."
"Como já disse, essa história não tem fim. Essas pessoas ainda existem espalhando sentimentos por ai. Elas são responsáveis pelo pouco de cor que se sente no mundo. Cores que se sente."
Cada história ali contada ficava gravada, nas pequenas memórias que se formavam nessas crianças, nas grandes paredes de cor indefinida, nas capas velhas ou novas dos livros fechados, nas bordas das páginas abertas. Cada história viveria ali e seria multiplicada cada vez que alguém as contasse novamente.
"As pessoas de sentimento podem ser facilmente encontradas, basta saber chama-las."
É contando e repassando que histórias ganham vida.
"Como podemos chamá-las?"


Com sentimento.
---
só para atualizar(?)