terça-feira, 12 de maio de 2009

E tanto faz...

Relógios nunca irão esperar por você. E tanto faz. Você nunca irá se importar com relógios. Nem eles. Ou nós.
Depois que o tempo passa, nada volta. E algo muda. Quando muda...

E se não muda, nada altera. Obviamente. Mas quando muda...

Machuca. Mas relógios não se importam. Nem eles. Ou nós.

Ignorando estranhas sensações, enquanto voltas são dadas e tempo passa. E tanto faz.

E se muda e não machuca, permanece. Se permanece é igual. Igual não muda. Mas quem se importa?
Relógios não. Ou eles. Nem nós.

Desde que machuque e não doa. Desde que doa, mas não faça sofrer. Desde o sofrimento seja bom. Desde que o bom faça bem. E o bem faça sorrir. E tanto faz...
Quem se importa?

Eu não. Nem eles, nem nós.