quinta-feira, 11 de junho de 2009

Tecendo

A agulha e a linha tecendo palavras corriqueiras, que correm, que fogem, que dizem besteiras. Tecendo, prendendo, dores e amores e gestos e cores no formato perfeito da combinação imperfeita.
A agulha e a linha prendendo dizeres, histórias, fatos e discórdias. Todos cordialmente servindo ao vestido da moçoila infeliz que ficará o oposto ao acordar e ver. Linhas e palavras e cores e amores e dores e gestos.

Com ou sem chá gelado lá pelas 3h.

Tudo rosa, tudo brilha, tudo chora. E até a doce melodia que escapa da vitrola empoeirada é atada à barra da saia da guria.