sábado, 7 de agosto de 2010

Querer

Quero menos grades invisíveis, menos tetos que reprimem,
Menos olhos cheios de dor.
Quero menos medo em corações, menos romances de verões,
Menos gente iludida.
Quero muito mais que a saída, mais que liberdade prometida,
Quero pele sem ferida.
Menos coragem máscula, menos confiança alheia,
Quero cavalos que sejam cinza.
E todo o tipo de mordomia.

Quero um fim sem poesia.